Resultados do Projeto “RURAL BIOENERGY”:

1) Desenvolvimento de um Plano de Formação em Bioenergia para o setor agroalimentar que inclua:

  • Quatro produtos intelectuais: um guia metodológico para formação (O1), um curso de formação estruturado (O2) com o ajustamento dos conteúdos para os alunos em materiais educativos (O3) e a plataforma educativa TIC e para o conhecimento e o intercâmbio (O4).
  • Dois eventos multiplicadores: um Seminário Técnico (E1) em Portugal e um Programa de Comunicação (E2) em Itália.
  • Um curso de formação de curta duração para o pessoal técnico das entidades do projeto (C1) a ser realizado na Espanha.

2) A participação de 1000 beneficiários diretos que pertencem principalmente às zonas rurais e por meio de 25 adesões de cada um dos 6 parceiros (150 stakeholders).

3) Criação de redes e elos comuns de aprendizagem entre os beneficiários e estratégias e ferramentas para promover e melhorar a comunicação entre os diferentes indivíduos e grupos implicados, incluindo desde o início os stakeholders para discutir estratégias sobre como abordar os problemas do Projeto RURAL BIOENERGY.

4) Página web do projeto na qual será mantida toda a informação compilada ao longo do projeto.

O projeto terá alguns resultados que continuarão após o final do mesmo:

  1. A PLATAFORMA TIC “RURAL BIOENERGY” criada pelo projeto (para fins educativos, de troca de conhecimento e promoção do emprego), assim como a página web do projeto.
  2. Conselhos sobre bioenergia rural através dos parceiros participantes do projeto (alguns dos quais realizam um trabalho de aconselhamento constante nas zonas rurais) e através da Internet.
  3. A criação de recursos educativos abertos (REA) o “PACOTE DE FORMAÇÃO EM BIOENERGIA RURAL” como um guia metodológico para a formação e outros recursos educativos práticos (documentos e material multimédia para a educação, aprendizagem, avaliação) cuja principal característica é que será o amplamente disponível para o público com licenças abertas. Permitir o livre uso e a reutilização por parte de qualquer organização ou indivíduo (professores, alunos, autodidatas…).
  4. Mesas redondas com as partes interessadas em todos os países dos parceiros do projeto, através da criação da “MESA REDONDA EUROPEIA DE BIOENERGIA RURAL”.
  5. Publicação de artigos em revistas especializadas em bioenergia ou desenvolvimento rural.
  6. Desenvolvimento da competência transversal “ESPECIALISTA EM BIOENERGIA PARA O SETOR AGROALIMENTAR”. Uma vez desenhado o currículo relacionado às competências necessárias identificadas no projeto e elaborado o conteúdo e as competências da oferta formativa, os parceiros iniciarão as etapas para sua possível integração no Sistema Europeu de Créditos do Ensino e Formação Profissionais (ECVET) ou em cada um dos cinco países que moldam a associação.